Decisão atende à determinação do ministro Gilmar Mendes que utiliza informações reveladas pelas investigações da Operação Lava Jato para dizer que a campanha foi supostamente financiada com recursos da Petrobrás